NOTA DE ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

 Home / Notícias / Detalhes da Notícia

NOTA DE ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO

18 de Janeiro de 2017

REPORTAGEM SOBRE PARALISIA FACIAL - PROGRAMA FANTÁSTICO -  15/01/2017

A Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) e a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO) vêm, por meio desta, esclarecer o público brasileiro sobre as informações inadequadas e com total falta de conhecimento apresentadas em reportagem veiculada no programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão, no último domingo, dia 15, sobre Paralisia Facial.

A reportagem apresentada deu a entender que no Brasil não existe e não se faz o tratamento adequado desta enfermidade, e mais, não faz menção à necessidade do correto e rápido diagnóstico médico, levando o público a julgar que a única possibilidade é um tratamento no exterior.

Assim, a ABORL-CCF e a SBO esclarecem que a Paralisia Facial é uma doença que necessita de uma urgente avaliação médica especializada quando de sua instalação, para a elucidação de que se trata de uma paralisia facial periférica (que será tratada preferencialmente pelo médico otorrinolaringologista) ou central (que será tratada preferencialmente pelo neurologista), além da investigação de sua possível causa.

O tratamento medicamentoso deve ser iniciado sob prescrição médica o mais precoce possível para maximizar as possibilidades de recuperação completa da função do nervo facial e da motricidade da face. Diversos exames podem ser solicitados pelo médico para auxiliar no diagnóstico da causa e orientar o tratamento necessário, também o mais precocemente possível. O acompanhamento médico deve ser bastante frequente na fase inicial, para permitir os ajustes adequados ao tratamento e, eventualmente, pode haver indicação de tratamento cirúrgico em alguns casos (como por exemplo em situações de trauma, tumores ou demora na recuperação).

O concurso de outros profissionais de saúde pode ser solicitado, tais como terapia fonoaudiológica, psicológica e fisioterapia, mas sempre após o estabelecimento de adequado diagnóstico e tratamento médico, e sempre sob estrita supervisão médica.

A ABORL-CCF e a SBO se colocam à disposição para os demais esclarecimentos que se fizerem necessários.


Autor: Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) e a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO)

Compartilhe esse conteúdo com a sua rede social favorita.
Voltar